Orçamento de Desentupidora em Indaiatuba

Desentupidora em Indaiatuba SP

Desentupidora em Indaiatuba ? Desde já conte com um Especialista nos serviços de: 

  • Desentupimos de esgoto 
  • Servi√ßos de Desentupidora de vaso sanit√°rio
  • Desentupidor de pia 
  • Melhor pre√ßo de Desentupidora de ralo 
  • Desentupidora de coluna 
  • Profissional de Desentupidora de tanque 
  • Limpeza de fossa s√©ptica
  • Servi√ßos de Limpeza de caixa de gordura 
  • Limpamos e desentupimos calhas
  • Super Limpeza de caixa d‚Äô√°gua 

Preciso de uma desentupidora de esgoto em Indaiatuba

Agora que voc√™ entendeu como funciona o nosso atendimento, pe√ßa a sua visita agora mesmo. Basta entrar em contato e solicitar a sua visita t√©cnica GR√ĀTIS. N√£o cobramos nada pela visita nem pelo or√ßamento.

E se eu não gostar do atendimento e do preço do orçamento?

Ainda resta d√ļvidas de que a Desentupidora em Indaiatuba √© a melhor solu√ß√£o para seus problemas.

Se você não gostar do atendimento do nosso técnico, e achar caro o nosso orçamento, não pagará nada por isso, ficando livre para buscar outra solução ou outra empresa desentupidora em Indaiatuba .

Desentupidora de vaso em Indaiatuba

Desentupidora de vasos sanitários em Indaiatuba e toda São Paulo. De antemão Oferecemos serviço de desentupimento com equipamentos adequados e técnicos experientes para remover toda a sujeira da tubulação que podem obstruir os vasos.

A princípio Alguns entupimentos podem ser de maior complexidade necessitando a retirada do vaso sanitário. Nesse ínterim Esse serviço o técnico realiza com responsabilidade de forma segura para o cliente e efetuando a limpeza pós obra.

Desde já Evite jogar cotonete, fio dental, fralda, papel higiênico, absorventes ou outros objetos dentro do vaso sanitário. Enfim Caso ocorra a obstrução, entre em contato conosco para realizar o serviço de desentupimento de vaso sanitário.

Desentupidora de cano de esgoto em Indaiatuba

Desentupidora de cano de esgoto em Indaiatuba SP em regime de plant√£o. Posteriormente Canos de esgoto entupidos geralmente ocorrem devido ac√ļmulo de detritos como gordura, alimentos, cabelos, pap√©is, ra√≠zes de plantas e √°rvores.¬†

Em primeiro lugar Caso perceba a diminuição do escoamento da água, chame uma empresa especializada no serviço de desentupimento, com equipamento adequado, caminhão hidrojato, serviço de limpeza de fossa, capaz de resolver rapidamente problemas como desentupimento de cano de esgoto.

Desentupidora de pia em Indaiatuba

Desentupidora de pia em Indaiatuba com atendimento 24 horas. Entre em contato agende uma visita técnica grátis para realizar avaliação do desentupimento de sua pia.

Entupimentos de pias geralmente ocorrem devido o despejo de óleos, gorduras e restos de alimentos pelo ralo. Enfim, Em casos mais simples o despejo de água quente ou produtos para derreter a gordura pode resolver o problema. Finalmente Retirar o sifão e fazer o uso de um desentupidor caseiro também pode desobstruir o cano.

A princ√≠pio Em casos que a√ß√Ķes como essas n√£o surtirem efeito procure por empresas com profissionais experientes. Acima de tudo Ficaremos felizes em atend√™-lo prontamente.

Qual é preço da desentupidora em Indaiatuba ?

Todos os dias recebemos muitos contatos buscando sobre o preço que cobramos em nossos serviços. Seria irresponsável de nossa parte precificar sem ao menos um técnico fazer a vistoria do local.

Sem a visita, como definiremos qual máquina ou técnica a se utilizar, pois cada entupimento tem a sua própria dificuldade.

O técnico no local, realiza testes, como por exemplo, para saber se um entupimento está na tubulação ou no vaso sanitário. A resposta apontará qual técnica desentupidora ou máquina a ser escolhida e então precifica o serviço.

Desentupidora de ralo em Indaiatuba

Desentupidora de ralo em Indaiatuba para resolver rapidamente os problemas de entupimento em casas, fábricas, escolas, shoppings, escritórios e onde mais ocorrer problema com entupimentos.

Nesse sentido O uso de equipamento correto deve ser manuseado por profissional treinado e experiente nesse tipo de serviço. O descarte dos resíduos deve ser feito em local adequado, por isso conte sempre com empresas licenciadas e responsáveis para seguir as normas e respeitar o meio ambiente. Chame a Desentupidora em Indaiatuba De acordo com o que explicamos neste artigo, agora mesmo e agende sua visita.

Como escolher uma empresa de desentupimento em Indaiatuba ?

À primeira vista Se você estiver precisando de um empresa de desentupimento para sua casa, condomínio ou no seu estabelecimento comercial localizado em Indaiatuba , você precisa contratar desentupidoras licenciadas perto de você. Ainda mais a Desentupidora em Indaiatuba é uma dessas empresas e pode lhe fornecer orçamento, sem nenhum compromisso.

Profissionais com experiência desentupimento de tubulação em Indaiatuba !

A princ√≠pio Um entupimento, al√©m do transtorno em si, pode resultar em danos para a sa√ļde. Esgotos obstru√≠dos, caixa de gordura cheia atraem pragas, como ratos e baratas que trazem consigo sujeira e doen√ßas. Se voc√™ desconfiar que h√° uma obstru√ß√£o no encanamento de sua resid√™ncia, seu pr√©dio, loja ou empresa, entre em contato com a Desentupidora em Indaiatuba . Finalmente agora explicamos sobre nossos servi√ßos e que Atendemos o centro e demais regi√Ķes de SP.

Frequentemente Nossos técnicos são treinados e solucionam qualquer entupimento que possa estar lhe incomodando. Contamos com equipe capaz de finalizar o trabalho de forma rápida e eficaz com equipamentos modernos e alto nível de conhecimento no campo de desentupimento em Indaiatuba .

Desentupidora 24 horas em SP

Contar com servi√ßos de uma empresa desentupidora, al√©m de conservar o seu patrim√īnio, garante um ambiente com limpeza, seguran√ßa, sa√ļde e bem estar para as pessoas que ali frequentam. Enfim A Desentupidora em Indaiatuba possui equipe experiente e licenciada com mais de 20 anos de atua√ß√£o no mercado de¬†desentupimento de casas, condom√≠nios, pequenas e grandes empresas, lojas e todos os tipos de estabelecimentos comerciais em Indaiatuba e demais localidades da grande SP.

Bem como nossos Profissionais treinados fazem a diferença em qualquer ramo e não poderia ser diferente no desentupimento, portanto escolha uma empresa responsável para esse tipo de serviço. Logo Estamos prontos para atender e fazer a desobstrução em qualquer área em Indaiatuba em São Paulo. Como resultado Trabalhamos em regime de plantão para atender rapidamente às emergências, 24 horas por dia, 7 dias da semana.

Em outras palavras De maneira idêntica e Antes de mais nada Chame agora mesmo nossa empresa desentupidora no seu bairro. Se você precisar de serviços de dedetizadora em Indaiatuba ou demais cidades de SP, pode contar conosco também. Ficaremos felizes em atendê-lo.

À primeira vista Atuamos também com Dedetização e Controle de pragas como Cupins, Baratas, Percevejos, Formigas, Pernilongos, Pulgas, Ratos e todos os tipos de insetos e pragas urbanas.

Principais causas de entupimento nas tubula√ß√Ķes

Infelizmente, maus h√°bitos nas rotinas das pessoas geram o entupimento nas tubula√ß√Ķes. Acima de tudo Em dia de muita chuva, o transtorno √© certo devido ao aumento de res√≠duos descartados em locais impr√≥prios.

A seguir, as principais causas de entupimentos.

Jogar papel higi√™nico ou outros materiais no vaso sanit√°rio ‚Äď Esse tipo de papel, se n√£o for biodegrad√°vel (que √© absorvido pela natureza), pode causar s√©rios problemas.

Gordura, √≥leos e restos de comida no ralo a pia ‚Äď Detritos parados no sif√£o acabam entulhando. Eles ficam grudados nos canos, impedindo a passagem da √°gua para as galerias, causando inunda√ß√Ķes. Cerca de 50 mg de √≥leo consegue poluir mais de 25 mil litros de √°gua.

Fios de cabelo ‚Äď durante o banho, ao pentear os cabelos, ou fazer barba na pia, os fios podem, ocasionalmente, obstruir os encanamentos devido ao ac√ļmulo.

Encanamento entupido: como prevenir

Antecipadamente Existem algumas medidas alternativas e caseiras que podem ajudar se o problema for simples, Por exemplo:

  • fazer manuten√ß√£o peri√≥dica na caixa de gordura
  • nunca jogar detritos no vaso sanit√°rio
  • jogar √°gua quente na pia da cozinha, de 15 em 15 dias, para derreter a gordura

Portanto Sendo assim a prevenção é a melhor solução. Se for necessário, abra os canos e limpe cada um com água quente e detergente. Acima de tudo, tome cuidado com produtos químicos comprados em supermercados, pois eles podem corroer, furar ou estourar os canos, causando transtorno ainda maior.

Sobre a Cidade de Indaiatuba

Indaiatuba¬†√© um¬†munic√≠pio brasileiro¬†no¬†interior¬†do¬†estado¬†de¬†S√£o Paulo. Pertence √†¬†Mesorregi√£o¬†e¬†Microrregi√£o de Campinas, localizando-se a noroeste da¬†capital do estado, a 23¬ļ05’24” de¬†latitudesul¬†e 47¬ļ13’04” de¬†longitudeoeste, a uma¬†altitude¬†de 715 metros do n√≠vel do mar. Ocupa uma √°rea de 311,5 km¬≤ e sua popula√ß√£o estimada pelo¬†IBGE¬†para¬†2021¬†era de 260¬†690 habitantes, estima-se que existe 206 430 habitantes entre 18 a 69 anos, 13 565 acima de 70 anos e 40 695 entre 0 a 17 anos,[2]que a coloca na 32¬™ posi√ß√£o entre os¬†munic√≠pios mais populosos do estado de S√£o Paulo.Destaca-se pela elevada qualidade de vida onde foi considerado por seis vezes consecutivos o melhor munic√≠pio de se morar no Brasil, entre os 5 570 existe no pa√≠s, onde se encontra sempre entre o tr√™s munic√≠pios no ranking nacional n√≥s √ļltimos 20 anos, desde 2001 a atualidade.

Top√īnimo

O nome Indaiatuba vem do tupi antigo ina√ģatyba, “ajuntamento de indai√°s” (ina√ģ√°, “indai√°” e tyba, “ajuntamento”).[5] A denomina√ß√£o se prendeu √†s caracter√≠sticas da paisagem e da vegeta√ß√£o da localidade, hoje j√° alteradas. Tornou-se oficial em 1830, embora haja not√≠cia de que tenha sido utilizada anteriormente, j√° no s√©culo XVIII.[6]

A exist√™ncia marcante de indai√°s carregados de pequenos cocos fez com que Indaiatuba tivesse recebido, entre meados do s√©culo XVIII e in√≠cio do s√©culo XIX, tamb√©m a denomina√ß√£o de “Cocaes”.[6]

História de Indaiatuba

Povoamentos pré-coloniais

A regi√£o do atual munic√≠pio de Indaiatuba provavelmente come√ßou a ser ocupada por grupos ca√ßadores-coletores e agricultores h√° cerca de 5000 anos. De acordo com as fontes hist√≥ricas dispon√≠veis, ind√≠genas falantes de idiomas relacionados ao tronco lingu√≠stico Tupi-guarani[7][8] habitavam a regi√£o quando as primeiras expedi√ß√Ķes europeias come√ßaram a cruzar os caminhos terrestres e fluviais do atual estado de S√£o Paulo. Por conseguinte, as pesquisas arqueol√≥gicas desenvolvidas nessa regi√£o apontam para a exist√™ncia de diversos s√≠tios por toda sua extens√£o, sendo registrados (at√© o momento) 39 s√≠tios arqueol√≥gicos, distribu√≠dos por Itu (13), Campinas (05), Indaiatuba (03), Monte Mor (04) e Salto (14).

Identificado em 2005, o s√≠tio arqueol√≥gico Buruzinho[9] est√° localizado nas proximidades do C√≥rrego Garcia (Buruzinho), sendo caracterizado pela presen√ßa de ferramentas de pedra (tamb√©m conhecidos como instrumentos l√≠ticos) e fragmentos cer√Ęmicos de uso cotidiano de popula√ß√Ķes ind√≠genas associadas a tradi√ß√£o cer√Ęmica Tupiguarani, assim como, vest√≠gios de ocupa√ß√£o hist√≥rica colonial e imperial (s√©culos XVIII e XIX, portanto), demostrando ao menos dois momentos hist√≥ricos de ocupa√ß√£o do local. Apesar das informa√ß√Ķes esparsas, acredita-se que o material deste s√≠tio se encontra no Museu Elizabeth Aytai, localizado no munic√≠pio de Monte Mor. O s√≠tio arqueol√≥gico Cambar√°, localizado nas proximidades do rio Capivari-Mirim, tamb√©m conta com presen√ßa de instrumentos l√≠ticos e fragmentos cer√Ęmicos de uso comum entre popula√ß√Ķes ind√≠genas, assim como vest√≠gios de ocupa√ß√£o do s√©culo XIX, mais especificamente do per√≠odo imperial brasileiro. Esse √ļltimo s√≠tio foi identificado em 2018, durante as atividades de acompanhamento arqueol√≥gico de um empreendimento residencial, sendo que os materiais encontrados (j√° bastante fragmentados) foram posteriormente enviados ao Museu Raphael Toscano, localizado no munic√≠pio de Ja√ļ. Embora nenhum dos dois s√≠tios arqueol√≥gicos foi alvo de pesquisas que determinassem a idade do material pr√©-colonial, √© poss√≠vel afirmar que toda a regi√£o se encontrava no entorno da rota que ligava diversas microbacias hidrogr√°ficas a diferentes pontos do rio Tiet√™, a qual foi utilizada por s√©culos pelas popula√ß√Ķes ind√≠genas.[10] Dessa forma, √© prov√°vel que os s√≠tios de Indaiatuba fa√ßam parte do mesmo contexto de ocupa√ß√£o.

O √ļltimo s√≠tio, denominado Capivari-Mirim, foi descoberto em 2018. No local foram identificados instrumentos l√≠ticos feitos em quartzito, no que provavelmente foi um antigo acampamento de ca√ßa. Localizado pr√≥ximo √†s margens do c√≥rrego Jacar√©, afluente do rio Capivari-Mirim, esse s√≠tio arqueol√≥gico √© mais um testemunho da recorrente presen√ßa de grupos ind√≠genas na regi√£o de Indaiatuba.[11]

Colonização portuguesa e fundação do povoado

O processo efetivo de coloniza√ß√£o portuguesa teve in√≠cio a partir da segunda metade do s√©culo XVIII, quando a regi√£o come√ßou a ser ocupada por fazendas de cana-de-a√ß√ļcar, implementadas por Portugal como pol√≠tica de incentivo √† produ√ß√£o de a√ß√ļcar na capitania de S√£o Paulo. Tal pol√≠tica foi inicialmente desenvolvida por Dom Lu√≠s Ant√īnio de Souza Botelho e Mour√£o, tamb√©m conhecido como Morgado de Mateus, governador da citada capitania entre 1765 e 1775. Dessa forma, vilas e povoados foram fundadas em um processo progressivo de interioriza√ß√£o da capitania paulista, visando evitar uma poss√≠vel expans√£o espanhola sobre os territ√≥rios meridionais da Am√©rica Portuguesa.[12]

√Č incerta a data de funda√ß√£o do povoado que daria origem √† Indaiatuba, entretanto. De acordo com a tradi√ß√£o oral, o primeiro n√ļcleo de povoa√ß√£o teria surgido em fins do s√©culo XVII (antes da funda√ß√£o das primeiras fazendas de cana-de-a√ß√ļcar, portanto), pr√≥ximo ao local onde o c√≥rrego Barnab√© desemboca no rio Jundia√≠. O primeiro nome desse assentamento teria sido ‚ÄúVotura‚ÄĚ, termo provavelmente de origem tupi. Apesar da virtual aus√™ncia de documenta√ß√Ķes hist√≥ricas que confirmem o relato, memorialistas d√£o conta de uma grave epidemia de var√≠ola nesse povoado em algum momento do s√©culo XVIII, o que teria motivado seu abandono. Com isso, um novo n√ļcleo de povoamento teria surgido junto ao local onde hoje est√° situado o largo da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candel√°ria.[13][14]

Os primeiros registros de um arraial chamado Indayatiba datam de 1768, cuja popula√ß√£o praticava uma agricultura predominantemente de subsist√™ncia, com destaque para o milho e feij√£o. O nome do arraial derivaria dos extensos campos de palmeiras indai√° que existiam na regi√£o, sendo tamb√©m observado o uso do top√īnimo Cocaes para designar a localidade.[12][14] Por conseguinte, esse povoado era inicialmente um bairro rural da Vila de Itu, rota de tropas para o sul da Col√īnia, passando pela vila de Sorocaba e seguindo em dire√ß√£o √†s vilas existentes nas capitanias de Mato Grosso e Goi√°s, onde eram exploradas diversas lavras de ouro durante esse per√≠odo. Com isso, a localidade que daria origem ao atual munic√≠pio de Indaiatuba tornou-se um pouso habitual de tropeiros.

No fim do s√©culo XVIII e in√≠cio do XIX, o povoado seguiu em expans√£o, com o surgimento de bairros rurais como Itaici e Pira√≠. Fazendas e engenhos de a√ß√ļcar foram instalados pr√≥ximas aos diversos c√≥rregos e rios do povoado e, ao redor destas, tamb√©m o com√©rcio interno que servia √†quela popula√ß√£o. Algumas fazendas desse per√≠odo ainda podem ser observadas em Indaiatuba, como a Fazenda Engenho D‚Äô√Āgua, pr√≥ximo ao C√≥rrego Barnab√©. Constru√≠da em taipa-de-pil√£o, a sede provavelmente data de 1770, embora a refer√™ncia documental mais antiga √† respeito dessa fazenda ‚Äď presente no ‚ÄúLivro de Registros de Terras da Freguezia de Indaiatuba‚ÄĚ ‚Äď seja da d√©cada de 1850.[14]

Em 1813, Pedro Gon√ßalves Meira ‚Äď considerado o fundador de Indaiatuba ‚Äď doou terras para a constru√ß√£o de uma capela curada em honra √† Nossa Senhora da Concei√ß√£o, a qual posteriormente daria origem a atual Igreja Matriz. Posteriormente transformada em uma capela de devo√ß√£o √† Nossa Senhora da Candel√°ria por Joaquim Gon√ßalves Bicudo, irm√£o de Pedro, essa edifica√ß√£o religiosa tornou-se um fator de atra√ß√£o para a localidade. Consequentemente, a partir dessa capela se daria a paulatina expans√£o urbana do arraial. Segundo os registros paroquiais, o primeiro p√°roco teria sido o padre Pedro Dias Pais Leme.[15]

Criação da freguesia de Indaiatuba e início do cultivo do café

Em 9 de dezembro de 1830, o ent√£o povoado de Cocaes foi elevado √† condi√ß√£o de sede de uma das freguesias da Vila de Itu por decreto do ent√£o imperador Dom Pedro I, com o nome de Indaiatuba. Essa data passou a ser comemorada como a data do anivers√°rio da cidade. Por sua vez, em 24 de mar√ßo de 1859, Indaiatuba seria elevada √† condi√ß√£o de vila, ganhando autonomia pol√≠tica em rela√ß√£o a Itu, com sua pr√≥pria C√Ęmara de Vereadores.[12] Durante esse per√≠odo, Indaiatuba j√° havia adquirido um tra√ßado urbano quadriculado, t√≠pico da tradi√ß√£o racionalista observada em cidades portuguesas dos s√©culos XVIII e XIX, vis√≠vel at√© hoje em seu centro hist√≥rico.[16]

A partir da d√©cada de 1850, justamente durante o contexto que levou √† emancipa√ß√£o pol√≠tica de Indaiatuba, o cultivo do caf√© j√° havia substitu√≠do de forma definitiva a primazia da cultura do a√ß√ļcar nas terras paulistas. Nesse sentido, a vila de Indaiatuba estava inserida em um processo mais amplo de expans√£o da cafeicultura, o qual gerou um crescimento econ√īmico vertiginoso n√£o s√≥ dos munic√≠pios da regi√£o (como Campinas, Itu e Jundia√≠) mas de toda a prov√≠ncia de S√£o Paulo.[17] Por conseguinte, na antiga Fazenda Pau Preto foi instalada a primeira m√°quina a vapor de beneficiamento de caf√© de Indaiatuba. Nota-se, portanto, que o crescimento do plantio de caf√© ‚Äď ainda que fundamentalmente pautada no trabalho escravo ‚Äď gerava lucros altos, o que proporcionava investimentos em maquin√°rio importado. Com efeito, Joaquim Em√≠gdio de Campos Bicudo, propriet√°rio da Fazenda Pau Preto tamb√©m investiu na constru√ß√£o de uma nova sede, seguindo o padr√£o arquitet√īnico de tijolos √† vista, t√≠pico do contexto fabril ingl√™s de fins do s√©culo XIX.[12]

A expans√£o da cafeicultura tamb√©m gerou uma demanda por melhores rotas de transporte, uma vez que os antigos caminhos terrestres e fluviais j√° n√£o comportavam o fluxo de pessoas e bens. Com isso, em novembro de 1872, foi inaugurado o primeiro trecho da Estrada de Ferro Ytuana entre a esta√ß√£o Pimenta (localizada no bairro hom√īnimo de Indaiatuba e primeira esta√ß√£o constru√≠da no munic√≠pio) e Jundia√≠.[18] No ano seguinte iniciou-se a constru√ß√£o do trecho Itaici-Piracicaba, sendo posteriormente inauguradas mais duas esta√ß√Ķes: Itaici e Indaiatuba. De acordo com os registros hist√≥ricos, a esta√ß√£o de Indaiatuba n√£o foi constru√≠da pela Companhia Ytuana de Estradas de Ferro, mas pelo pr√≥prio munic√≠pio, atrav√©s de doa√ß√£o de fundos organizada pela C√Ęmara Municipal.[19] Embora provavelmente tenha existido uma esta√ß√£o de parada mais simples no local a partir de 1873, a esta√ß√£o ferrovi√°ria de Indaiatuba seria inaugurada de fato somente em 1880. Substitu√≠da por uma esta√ß√£o maior em 1911, a edifica√ß√£o original foi convertida em armaz√©m da ferrovia. Atualmente, a primeira esta√ß√£o de Indaiatuba abriga uma oficina-escola de liuteria (produ√ß√£o de cordas de instrumentos musicais), enquanto na edifica√ß√£o de 1911 funciona o Museu Ferrovi√°rio. J√° a esta√ß√£o de Itaici, localizada no distrito de mesmo nome, funcionou como um entrocamento de ramais ferrovi√°rios para Jundia√≠, Piracicaba e Campinas at√© 1975, sendo permanentemente desativada em 1986.[20]

S√©culos XIX e XX: Crescimento econ√īmico e demogr√°fico do munic√≠pio

A partir da segunda metade do s√©culo XIX, Indaiatuba tamb√©m recebeu muitos imigrantes da Su√≠√ßaAlemanhaIt√°liaEspanhaCro√°cia e, j√° no s√©culo XX, imigrantes do Jap√£o. Parte de uma pol√≠tica imperial e provincial mais ampla de incentivo √† imigra√ß√£o europeia, tal processo acabou por transformar de forma significativa as rela√ß√Ķes de trabalho no contexto rural brasileiro. Em um primeiro momento, os imigrantes deslocados para Indaiatuba foram empregados nas fazendas de caf√©, embora muitos eventualmente tornaram-se propriet√°rios de terras.  Um exemplo claro desse processo se deu com a funda√ß√£o da Col√īnia Helv√©tia em 1888, ap√≥s quatro fam√≠lias imigrantes su√≠√ßas comprarem as terras dos s√≠tios Capivari-Mirim e Serra d‚Äô√Āgua.[21] O crescimento econ√īmico da col√īnia, tamb√©m pautado no cultivo comercial do caf√©, assegurou sua continuidade at√© os dias atuais, sendo nela realizada anualmente a Festa da Tradi√ß√£o no Dia da Funda√ß√£o da Su√≠√ßa.[14]

Localizada em terras pr√≥ximas √† divisa municipal entre Campinas e Indaiatuba, a Col√īnia Helv√©tia tamb√©m recebeu uma esta√ß√£o ferrovi√°ria da Sorocabana ‚Äď apropriadamente batizada de Esta√ß√£o Helv√©tia ‚Äď a partir de 1914.[22] Essa esta√ß√£o, assim como Francisco Quirino, inaugurada em 1919, fazia parte do chamado ramal de Campinas, linha f√©rrea que ligava Mairinque at√© esse munic√≠pio. Dessa forma, em um momento em que o transporte ferrovi√°rio ainda era o meio mais eficiente de deslocamento de mercadorias e pessoas pelo interior paulista, Indaiatuba acabou por se tornar um ponto de converg√™ncia de linhas f√©rreas.

O crescimento econ√īmico e demogr√°fico de Indaiatuba nesse per√≠odo fez com que fosse elevada √† condi√ß√£o de cidade em 19 de dezembro de 1906, atrav√©s da Lei Estadual n.¬ļ 1.038.[12] Nessa √©poca, o munic√≠pio j√° contava com um sistema p√ļblico de abastecimento de √°gua, rede de ilumina√ß√£o el√©trica e um c√≥digo de posturas. Nas d√©cadas seguintes, os efeitos econ√īmicos negativos gerados pelas quedas no pre√ßo do caf√© prejudicariam o crescimento de Indaiatuba, contudo. Apesar das fazendas locais tamb√©m produzirem comercialmente outros cultivares, tais como batata e milho, a caracter√≠stica essencialmente agr√≠cola da economia indaiatubense fez com que o desenvolvimento urbano do munic√≠pio se desse de forma mais lenta, quando comparada a outros centros.[14]

Segundo consta, em 1933, data em que foi inaugurado o Hospital Augusto de Oliveira Camargo, Indaiatuba contava com cerca de 3 mil habitantes. Tamb√©m da primeira metade do s√©culo XX, datam as profundas reformas realizadas na Igreja Matriz, projeto do arquiteto Cezare Zoppi, respons√°vel tamb√©m pelo projeto e execu√ß√£o da igreja S√£o Benedito, a casa paroquial e v√°rias outras edifica√ß√Ķes da √©poca. Em 1950, Indaiatuba j√° havia alcan√ßado uma popula√ß√£o de 11 253 habitantes. Quatorze anos depois, em 1964, j√° eram 22 928 habitantes, crescimento pautado principalmente na expans√£o da ind√ļstria e de servi√ßos. Desde ent√£o, o crescimento demogr√°fico de Indaiatuba foi uma constante, alcan√ßando 92.700 habitantes em 1991, 146.829 em 2000 e, finalmente, 251.627 em estimativa do IBGE para o ano de 2019.[23]

Sendo uma cidade que tem suas origens no per√≠odo colonial brasileiro, contando tamb√©m com s√≠tios arqueol√≥gicos que remontam a tempos ainda mais antigos, Indaiatuba possui diversos bens tombados por sua signific√Ęncia hist√≥rica, tanto em escala municipal[24] quanto estadual.[25] S√£o eles:

  • Fazenda Engenho d‚Äô√Āgua, edifica√ß√£o com paredes de taipa-de-pil√£o, constru√≠da em meados do s√©culo XVIII, tombada em 2008 pelo Conselho Municipal de Preserva√ß√£o da Funda√ß√£o Pr√≥-Mem√≥ria de Indaiatuba;
  • Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candel√°ria, tombada em 2008 pelo Conselho Municipal de Preserva√ß√£o da Funda√ß√£o Pr√≥-Mem√≥ria de Indaiatuba;
  • Casa Paroquial, tombada em 2008 pelo Conselho Municipal de Preserva√ß√£o da Funda√ß√£o Pr√≥-Mem√≥ria de Indaiatuba;
  • Casar√£o do Pau Preto, tombada em 2008 pelo Conselho Municipal de Preserva√ß√£o da Funda√ß√£o Pr√≥-Mem√≥ria de Indaiatuba;
  • Busto de Dom Jos√© de Camargo Barros, tombada em 2008 pelo Conselho Municipal de Preserva√ß√£o da Funda√ß√£o Pr√≥-Mem√≥ria de Indaiatuba;
  • Edifica√ß√Ķes do Hospital Augusto de Oliveira Camargo, tombada em 2008 pelo Conselho Municipal de Preserva√ß√£o da Funda√ß√£o Pr√≥-Mem√≥ria de Indaiatuba;
  • Caixa d‚Äô√°gua, remanescente do terreiro de caf√© pertencente ao Casar√£o do Pau Preto, tombada em 2008 pelo Conselho Municipal de Preserva√ß√£o da Funda√ß√£o Pr√≥-Mem√≥ria de Indaiatuba;
  • Fazenda Santa Gertrudes, exemplar √≠ntegro da produ√ß√£o cafeeira do final do s√©culo XIX, localizada nos munic√≠pios de Indaiatuba e Itupeva. Tombada em 2014 pelo Conselho de Defesa do Patrim√īnio Hist√≥rico, Arqueol√≥gico, Art√≠stico e Tur√≠stico do Estado de S√£o Paulo.

√ćndice

Deixe um coment√°rio

O seu endereço de e-mail não será publicado.